O roubo da Monalisa (Gioconda)

12/12/2013 18:27

monalisa-leoanardo-da-vinci

Na noite de 20 de agosto de 1911, um homem entra no Louvre com um grande desejo: roubar a famosa Monalisa, chamada pelos italianos de Gioconda e levá-la para Florença. Na manhã do dia 21 de agosto de 1911, em uma das paredes do Louvre, existia um grande vazio: a Monalisa tinha desaparecido.

Quem será que roubou a obra prima de Leonardo da Vinci, o quadro mais famoso do mundo?

Depois de muitas investigações, muitos suspeitos, entre eles o poeta Apollinaire ou até mesmo Pablo Picasso, o mistério foi solucionado dois anos mais tarde, no dia 12 de dezembro de 1913, exatamente 100 anos atrás. A obra foi encontrada em um hotel na cidade de Florença.

O ladrão foi o italiano Vincenzo Peruggia, que se aproveitou do fato de ser funcionário do Louvre e por isso, acima de qualquer suspeita, retirou a Monalisa do museu francês, escondido no próprio casaco. Simples assim!  A intenção de Perguggia, era restituir o quadro ao seu país, pois segundo ele, a obra pertencia por direito a Italia.  Peruggia se justificou dizendo que estava se vingando em nome da Italia, se referindo as diversas obras que Napoleão roubou da Italia.

A Monalisa foi restituída ao Louvre e Peruggia foi condenado a um ano e 15 dias de prisão, que mais tarde foi reduzido a sete meses e 15 dias.