Urs Fischer em Florença

19.11.2017

Desde de setembro que uma obra de arte, exposta na Piazza della Signoria, em frente ao Palazzo Vecchio vem criando polêmicas entre os florentinos e os visitantes da cidade de Florença. Trata-se de uma obra do artista suíço Urs Fischer que faz parte do projeto In Florence. O projeto nasceu um ano atrás da idéia de Fabrizio Moretti e Sergio Risalti, como um evento colateral da Biennale Internazionale dell'Antiquariato di Firenze. Na ocasião da XXX edição da Bienal de Florença, Urs Fischer um duplo projeto centrado na escultura, dialogando com o contexto histórico florentino e em especial da Piazza della Signoria, um verdadeiro museu a céu aberto.

No ponto central da praça, em dialogo com a Torre de Arnolfo do Palazzo Vecchio, se ergue Big Clay #4, uma imponente escultura de alumínio, alta quase 13 metros, um verdadeiro monumento a a simplicidade e a primordialidade do gesto criativo. Observando atentamente a obra, é possível ver as digitais do artista. A escultura na verdade é uma grande ampliação de pedaços de argila modelada no estúdio do artista. É uma verdadeira homenagem a arte da modelagem e a ação expressiva do simples gesto de criar uma obra de arte.

Em frente ao Palazzo Vecchio, entre a cópia do David de Michelangelo e a Judite e Holofernes de Donatello, foram colocadas duas esculturas de cera que representam Fabrizio Moretti e Sergio Risalti e segundo a visão do artista são dois cidadãos do mundo que possuem as suas raízes no território toscano. Eram duas esculturas feitas de ceras que iam se consumindo devagar. Infelizmente, uma das esculturas caiu no chão e assim as duas foram retiradas da exposição.

O Big Clay #4 estará exposto em Florença até o dia 22 de janeiro de 2018.

Biografia de Urs Fischer

Considerado um dos artistas mais influentes da sua geração, Urs Fischer nasce em Zurique em 1973, onde inicia os seus estudos de fotografia. Aos 19 anos, se muda para Amsterdã e mais tarde para os Estados Unidos - inicialmente em Los Angeles e depois New York, onde ainda é a sede do seu estúdio.

A primeira exposição do artista é datada do ano de 1996. Urs Fischer ficou muito famoso na Itália durante a Bienal de Veneza de 2011, quando apresentou uma célebre reprodução da escultura O Rapto das Sabinas de Giambologna. O Rapto das Sabinas de Urs Fischer também era feito de cera, a qual derretia progressivamente, como um processo de dissolução da forma.

Artista poliedro, Fischer alterna obras de respiro público e obras pessoais, utilizando tecnologias sofisticadas. A sua produção varia da serigrafia aos móveis, as obras da série Big Clay, esculturas monumentais que nasceram a partir da manipulação de pequenos pedaços de argila modelados pelo artista e depois ampliadas desproporcionalmente.