Os Jardins de Boboli em Florença

08.12.2017

Jardins de Boboli: onde a natureza, a arte, a ciência e a alquimia se encontram

Atrás do Palazzo Pitti encontra-se o maravilhoso Jardins de Boboli. Os jardins foram construídos por vontade da família  Medici,  criando assim o modelo do jardim italiano que foi exemplo para muitas muitas cortes européias.  

A grande área é dividida de forma regular e é um verdadeiro museu ao ar livre com estátuas antigas e renascentistas, grutas, (a mais famosa é a gruta de Bernardo Buontalenti), e grandes fontes, como a de Netuno e a do Oceano. 

As sucessivas dinastias dos Lorenas e do Savoias enriqueceram ainda mais os jardins, expandindo as fronteiras que cercam as antigas muralhas da cidade até Porta Romana. 

Não deixe de visitar  a área dos terraços próximo a Kaffeehaus  datado do século XVIII, um raro exemplo de arquitetura rococó na Toscana e a  Limonaia, construído por Zanobi del Rosso entre 1777 e 1778. 

A visita aos Jardins de Boboli completa aquela  do Palácio Real Pitti, do qual é parte integrante, permitindo compreender plenamente o espírito da vida dos seus moradores.

História dos Jardins de Boboli

Iniciado em 1549, projetado por Niccolò Pericoli, conhecido como Tribolo, para a duquesa Eleonora de Toledo, os Jardins de  Boboli  são um dos maiores exemplos de jardim italiano. Foi construído na encosta da colina de Boboli (daí o nome do jardim), que foi subdividida  geometricamente utilizando árvores e plantas de forma regular e simétrica. 

Em um momento de grande fermentação de idéias, decidiu-se começar o plantio de árvores, plantas raras e selvagens e a construção de fontes, que faria de Boboli um dos jardins mais significativos, digno da  residência do Grão-Duque. Infelizmente, Tribolo morreu pouco depois e a direção dos trabalhos passou para Bartolomeo Ammannati e mais tarde para Bernardo Buontalenti. 

Entre as primeiras intervenções importantes foi a realização da Gruta de Madama, construída entre 1553 e 1555, com o objetivo de recriar um ambiente naturalista, povoado por seres misteriosos e animais de pedra. 

Entre 1583 e 1593 tomou forma, sob a direção de Bernardo Buontalenti, a grande gruta de Boboli, chamada Grotta del Buontalenti, construída no lugar de um viveiro desenhado por Vasari. A gruta foi criada com um grande efeito cenográfico: concreções de calcário sob a forma de estalactites, conchas e relevos de terracota, onde a água que deslizava das paredes dava vivacidade e cor. 

Em 1631, Giulio Parigi transformou o anfiteatro de arquitetura verde em arquitetura de alvenaria e na primeira metade do século XVIII, chegou o obelisco egípcio proveniente de Luxor e que pertencia a Vila dos Médicis em Roma juntamente com a banheira que pertencia as termas  de Caracalla em Roma. 

Do alto, os jardins são dominados pela  Estátua da Abundância, iniciada por Giambologna e terminada por Pietro Tacca.